TAVIRA

Português:

Tavira está situada às margens do Rio Gilão, sendo uma das mais típicas cidades do Algarve. Unida pelas pontes, a Velha e a Romana, a cidade tem 37 igrejas, e tem grande importância histórica.

Fundada pelos fenícios entre o século VIII e o século VI a.C., possui ainda uma muralha original. Tavira foi constantemente disputada por vários povos devido à sua localização geográfica, sua proximidade com a Espanha e o seu porto de pesca.

Tavira viria a tornar-se a cidade mais próspera do Algarve durante os Descobrimentos Portugueses dos séculos XV e XVI, estando estrategicamente bem posicionada para auxiliar na defesa de localidades portuguesas do norte de África.

Sua arquitetura tem herança árabe, com seu casario branco ofuscante,  telhados de quatro águas que também são chamados de “Tesoura”. São telhados múltiplos que nunca cobrem inteiramente um edifício, apenas cada uma das divisões. Ao que parece não têm nenhuma função de recolha de águas da chuva, não têm nenhum fim utilitário. Podem ter origens muçulmanas na arte de construir ou poderão ser reflexo das relações marítimas com o Oriente.

Os encantos da cidade continuam até à Ria Formosa, onde se avistam salinas brancas e aves como o pernalonga, o flamingo ou o alfaiate. No seu final, em Quatro Águas, pode-se  apanhar o barco que atravessa até a praia, que separa a ria do mar. São 11 quilómetros de areal, que integram as praias da Ilha de Tavira, Terra Estreita, Barril e Homem Nu.

Atualmente Tavira é uma cidade essencialmente turística. Os tempos da pesca do atum, terminaram em 1972, mas a indústria do sal continua produzindo a Flôr de Sal, a mais famosa do Algarve.

As especialidades gastronómicas ficam por conta do peixe fresco e do marisco, o polvo cozido de diversas formas e o arroz de lingueirão. O atum, em bifes ou picados, também se destacam nos menus, já que a sua pesca era uma das atividades mais tradicionais desta zona. 

Até os dias de hoje a noite de São João é bastante festejada em Tavira e, mal se escutam as 12 badaladas, todos recordam a Moura encantada que surgirá dos muros do Castelo de Santa Maria.

A Lenda da Moura Encantada afirma que, no Castelo, existe uma muçulmana que, todos os anos, na noite de São João, aparece chorando pelo seu destino. Esta lenda conta a paixão de um cavaleiro cristão pela Moura, que escalou as muralhas para salvá-la da maldição, mas não conseguiu fazê-lo na hora em que poderia quebrar o feitiço.

English:

Tavira, located on the the Gilião River, is one of Algarve’s most quintessential towns. It’s connected by two bridges: “Velha” (Old one) and “Romana” (The Roman One). Tavira is also filled with 37 historical churches.

The town was founded by the phoenicians between 8th and 6th Centuries, BC, and the original city walls can still be seen today. Since then, Tavira’s dominion was constantly disputed by various groups due to its geographic advantages, such as fishing potential and its proximity to present-day Spain.

Later, during Portugal’s maritime expansion in the 15th and 16th Centuries, Tavira would become Algarve’s most prosperous town, once again due to its strategic location towards the north of Africa.

Like most of the Algarve, the architecture is strongly rooted in Arabic heritage, such as the stark white walls that make up the buildings.There are also compound roofs, which cover small parts of a house, rather than one roof covering the whole building. These roofs are seemingly not designed for rain collection, but rather have been attributed as an adaptation of either Moor building techniques, or even Asian, given Portugal’s ties to India, China and Japan in the time period.

The city’s delights continue up to Ria Formosa, where you can see salt lakes and birds such as flamingos and avocets. At the end of the ria is Quatro Águas, where you can catch a ride on a boat to the beach that separates the inlet from the sea. The beach stretches for 11KM, derided into the “Ilha deTavira”, “Terra Estreita”, “Barril” and “Homem Nu” beaches.

These days, Tavira is predominately a tourist destination. The tuna fishing and commerce was stopped in 1972, although salt extraction remains a core activity in Tavira, with Flôr de Sal remaining the most famous salt from Algarve.

When it comes to Tavira’s gastronomy, it revolves around fresh fish and seafood, octopus and razor clam rice. Tuna, whether in steaks or ground, remains a highlight despite it no longer being sourced in Tavira.

In terms of Festivities, the “noite de são João” (night of St. John) is celebrated yearly in Tavira. When the church bells strike midnight the crowd joins together.

This celebration is tied to a legend of an enchanted moor woman that shall appear in the walls of St. Mary’s Castle. According to the story, this woman is crying about the fate of her beloved christian knight, who climbed the castle walls in an attempt to free her curse, but missed the twelve tolls of midnight.

3 comentários em “TAVIRA”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s